Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ventor observa o Passado

caminhando pela História

O Ventor observa o Passado

caminhando pela História

krak-of-chevaliers-1078528_960_720.jpg


O Crack des Chevaliers, na Síria, que já enfrentou tudo, até o Dayesh. Foi também conhecido como a Fortaleza dos Curdos (os primeiros a constuílo) e só no século XIX, passou a ser conhecido como Fortaleza dos Cavaleiros



O Ventor saiu das trevas ... para caminhar entre as estrelas. Ele sonha, caminhando, que as estrelas ainda brilham no céu, que o nosso amigo Apolo ainda nos dá luz e que o nosso mundo continua a ser belo. Ele vai ao encontro do Sol, tal como o vexilóide de Alexandre o Magno


? Bem, depois ... vamos caminhando!


Adrão e o Ventor
Caminhando por aí
Ventor e a África
O Cantinho do Ventor
Planeta Azul
A Grande Caminhada
A Arrelia do Quico
Os Amigos do Quico
Fotoblog do Quico
Fotoblog do Ventor
Fotoblog de Flores
Rádio Ventor
Pilantras com o Ventor
Fotoblog do Pilantras
Montanhas Lindas
Os Filhos do Sol
As Belezas do Ventor
Ventor entre as Flores

01.07.20

Santa Sofia, em Istambul


Ventor e Quico

Vou tentar resumir aqui o essencial do edifício de Santa Sofia, em Istambul, mandada construir pelo imperador do oriente, justiniano I, essa obra prima da arquitectura (onde dizem que trabalharam cerca de 10.000 pessoas) e, durante muitos séculos, foi catedral, mesquita e hoje é um museu graças à intervenção revolucionária do primeiro presidente da República da Turquia, Kemal Ataturk.

Hagia Sofia.jpg

Santa Sofia, em Istambul, vista do lado do estreito de Bosforos

A basílica de Santa Sofia ou Hagia Sofia foi construída entre 532 e 537 D.C. pelo Império Bizantino para ser a catedral da então Constantinopla, hoje Istambul, na parte europeia da Turquia. A igreja de Santa Sofia, cumpriu a sua função de catedral entre 537 e 1453, altura em que os muçulmanos conquistaram Constantinopla e a transformaram em mesquita. Aqui temos de fazer uma excepção de 57 anos, entre 1204 e 1261, quando foi convertida em catedral católica romana durante o Patriarcado Latino de Constantinopla, quando a capital imperial foi saqueada pela Quarta Cruzada.

Após a conquista de Constantinopla pelos turcos seldjúcidas, em 1453, comandados pelo sultão Maomed II, o Conquistador, a catedral de Santa Sofia foi transformada em mesquita até 1931, quando foi secularizada por Ataturk, tendo reaberto como um museu em 1935. Esta igreja, na sua construção foi dedicada ao Logos, Deus Filho na Santíssima Trindade (credo calcedoniano) - a segunda pessoa.

Sofia, em grego, significa sabedoria e o seu nome completo é: "Igreja da Santa Sabedoria de Deus". Também dizem os especialistas que Santa Sofia foi durante cerca de 1.000 anos a maior catedral do mundo, até aparecer a catedral de Sevilha em 1520. Hoje está em quarto lugar, depois da Basílica de S. Pedro, no Vaticano, da Basílica de Nossa Senhora Aparecida, no Brasil e da catedral de Sevilha.

hagia-sophia1.jpg

Igreja de Santa Sofia vista por trás

A igreja de Santa Sofia foi a terceira igreja a ocupar o mesmo local. As anteriores foram destruídas por revoltas civis. Esta igreja foi projectada por Isidoro de Mileto (médico) e Antêmio de Trates (matemático e foi centro da igreja ortodoxa por quase mil anos. Foi ali que se deu o Grande Cisma do Oriente, quando o Cardeal Humberto, em 1054, excomungou o patriarca Miguel I Carulírio e ainda hoje continua.

Mahoemed II mandou remover os sinos, o altar, a iconóstase e os vasos sagrados e mandou cobrir com gesso alguns dos mosaicos que só vieram a ser restaurados entre 1931 e 1935. O mirabe, o mimbar e os quatro minaretes foram construidos durante o período muçulmano.

Este belo monumento conhecido, ainda hoje, como igreja de Santa Sofia, apesar de ser um museu, tem sido recuperado pela Unesco que tem feito a sua manutenção. Santa Sofia serviu por cerca de 500 anos como modelo de algumas mesquitas muçulmanas.

Talvez volte a dizer mais qualquer coisa, por aqui, sobre Santa Sofia, esta bela amiga do Ventor.


Caminhadas do Ventor, por Trilhos de Sonhos e de Ralidades, cujas histórias contou ao Quico e o Quico contou-as, para vós, brincando. Foi sob o Tecto do seu amigo Apolo que aprendeu a conhecer os seus amigos, ... como o deus nórdico Freyr e o seu javali Gullinbursti, entre outos