Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Ventor observa o Passado

caminhando pela História

O Ventor observa o Passado

caminhando pela História

krak-of-chevaliers-1078528_960_720.jpg


O Crack des Chevaliers, na Síria, que já enfrentou tudo, até o Dayesh. Foi também conhecido como a Fortaleza dos Curdos (os primeiros a constuílo) e só no século XIX, passou a ser conhecido como Fortaleza dos Cavaleiros



O Ventor saiu das trevas ... para caminhar entre as estrelas. Ele sonha, caminhando, que as estrelas ainda brilham no céu, que o nosso amigo Apolo ainda nos dá luz e que o nosso mundo continua a ser belo. Ele vai ao encontro do Sol, tal como o vexilóide de Alexandre o Magno


? Bem, depois ... vamos caminhando!


Adrão e o Ventor
Caminhando por aí
Ventor e a África
O Cantinho do Ventor
Planeta Azul
A Grande Caminhada
A Arrelia do Quico
Os Amigos do Quico
Fotoblog do Quico
Fotoblog do Ventor
Fotoblog de Flores
Rádio Ventor
Pilantras com o Ventor
Fotoblog do Pilantras
Montanhas Lindas
Os Filhos do Sol
As Belezas do Ventor
Ventor entre as Flores

30.06.02

Ventor no Passado


Ventor e Quico

Eu sou o Quico do Ventor 

Como já vos disse, «o Ventor subiu montes, desceu encostas, atravessou vales e rios, dominou as savanas, penetrou em florestas galerias, cruzou os céus mas, mais que tudo isso, pelos milénios fora, cruzou galácticas, defrontou alguns deuses, ... contudo e, agora comigo, continua caminhando sob as benesses de Apolo.   

Coruja das neves, uma amiga do Ventor, no Zoo de Lisboa

É do passado do Ventor que eu vou escrever, por aqui, para vós. Claro que eu também caminho com o Ventor. Ele conta-me as suas histórias e eu escrevo-as para vocês. Dividi a sua Grande Caminhada, em quatro corpos: O Ventor e o Passado, que nos fala de uma vida fabulosa entre os seus grandes amigos de milénios, já ao lado do Senhor da Esfera.

Depois conto-vos a sua caminhada actual nos séculos XX e XXI, por Adrão, em Adrão e o Ventor. Farei também um àparte especial da sua caminhada pela África, em Ventor em África e, continuando, todo o resto das suas caminhadas, entre nós, pelos Trilhos da Memória na Grande Caminhada do Ventor.

Quico, quem sou eu?

Caminhem connosco e verão muitos amigos! 

Agora venham comigo e com o Ventor, leiam a minha mensagem e sigamos para os Princípios do Mundo e, em diante.


Caminhadas do Ventor, por Trilhos de Sonhos e de Ralidades, cujas histórias contou ao Quico e o Quico contou-as, para vós, brincando. Foi sob o Tecto do seu amigo Apolo que aprendeu a conhecer os seus amigos, ... como o deus nórdico Freyr e o seu javali Gullinbursti, entre outos