Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Ventor observa o Passado

caminhando pela História

O Ventor observa o Passado

caminhando pela História

krak-of-chevaliers-1078528_960_720.jpg


O Crack des Chevaliers, na Síria, que já enfrentou tudo, até o Dayesh. Foi também conhecido como a Fortaleza dos Curdos (os primeiros a constuílo) e só no século XIX, passou a ser conhecido como Fortaleza dos Cavaleiros



O Ventor saiu das trevas ... para caminhar entre as estrelas. Ele sonha, caminhando, que as estrelas ainda brilham no céu, que o nosso amigo Apolo ainda nos dá luz e que o nosso mundo continua a ser belo. Ele vai ao encontro do Sol, tal como o vexilóide de Alexandre o Magno


? Bem, depois ... vamos caminhando!


Adrão e o Ventor
Caminhando por aí
Ventor e a África
O Cantinho do Ventor
Planeta Azul
A Grande Caminhada
A Arrelia do Quico
Os Amigos do Quico
Fotoblog do Quico
Fotoblog do Ventor
Fotoblog de Flores
Rádio Ventor
Pilantras com o Ventor
Fotoblog do Pilantras
Montanhas Lindas
Os Filhos do Sol
As Belezas do Ventor
Ventor entre as Flores

02.10.13

Após a Conquista de Niceia


Pilantras

... pela 1ª Cruzada.

(para manter vivo o espírito do Quico, este vosso amigo Pilantras irá observando os rabiscos que ele por aqui deixou e publicá-los-ei, tal como aqui na sequência da 1ª Cruzada)

Conquistada Niceia, após um cerco de um mês e cinco dias, 14 de Maio a 19 de Junho de 1097, realizado pelos cruzados e um contingente bizantino, os cruzados partiram rumo ao seu objectivo inicial - a Terra Santa.

Iluminura do massacre dos peregrinos da Cruzada Popular, na Anatólia

Os cruzados ficaram decepcionados com os bizantinos por negociarem a rendição de Niceia com os turcos seljúcidas nas suas costas e compreenderam que se encontravam sós, desvalorizando, por isso, o juramento quase obrigados a fazer com o Imperador. Por isso decidiram seguir rumo à Terra Santa não pensando mais envolver-se em conquistas a favor de Constantinopla.

A fim de colmatarem as necessidades de abastecimentos, a 26 de Junho, 7 dias após a queda de Niceia, dividiram-se em dois grupos, seguindo à frente um grupo comandado por Boemundo de Taranto e mais atrás, separados cerca de 5 km, um segundo grupo comandado por Godofredo de Bulhão e, de seguida, ambos os grupos se subdividiram em dois subgrupos.

 

Anatólia em 1097, Antes do Cerco de Niceia e da Batalha de Dorileia. A utilização deste ficheiro da autoria de MapMaster, é regulada nos termos da licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada

A 1 de Julho de 1097, os turcos seljúcidas armaram uma cilada aos cruzados da frente, junto à margem do rio Thymbris, onde se iniciou uma grande batalha, conhecida como a Batalha de Dorileia, onde a força comandada por Boemundo de Taranto foi dizimada por uma cavalaria ligeira armada de flechas dos seljúcidas (os célebres arqueiros, cujas linhas da frente lançavam as flechas e eram substituídos por linhas atrasadas) com ataques e recuos sempre a massacrar os primeiros cruzados, até aparecerem as forças da rectaguarda a atacar os turcos de flanco e pela rectaguarda.

 

Um arqueiro dos turcos seljúcidas

Após a junção das forças dos cruzados, os turcos seljúcidas tiveram de abandonar o campo e fugir rumo a leste, deixando para trás, muitos dos seus pertecentes, tendas camelos e várias riquezas.

Após a batalha de Dorileia, os cruzados continuaram a avançar rumo a leste, quase sem oposição, conquistando algumas cidades que voltaram a ser ocupadas pelos turcos cerca de 4 anos depois.

Balduino de Borgonha e Tancredo de Hauteville, ainda disputaram a cidade de Tarso mas seguiram rumo a Antioquia. Porém Balduino de Borgonha instigado por um arménio chamado Bagrat, dirigiu-se rumo ao rio Eufrates e foi tomar a Fortaleza de Turbessel.

Depois, convidado por Teodoro de Edessa, para ajudá-lo na disputa contra os arménios, ele teve grande influência na política do Condado e Teodoro adoptou-o como filho, herdando, logo após a sua morte, o Condado de Edessa, que foi o primeiro feudo cristão no Oriente Médio.


Caminhadas do Ventor, por Trilhos de Sonhos e de Ralidades, cujas histórias contou ao Quico e o Quico contou-as, para vós, brincando. Foi sob o Tecto do seu amigo Apolo que aprendeu a conhecer os seus amigos, ... como o deus nórdico Freyr e o seu javali Gullinbursti, entre outos