Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ventor caminha com o Passado

Vamos, também, olhar para trás e veremos que o

Vamos, também, olhar para trás e veremos que o

Ventor caminha com o Passado

O Ventor caminha no Passado, ...




... caminhando nos trilhos dos seus amigos reais ou imaginários que aprendeu a respeitar e com eles vive uma parceria de sonhos



Na rota da Lua, a minha amiga Diana



Aqui, no Cantinho do Ventor, vamos sonhando ...



... juntamente com a Wikipédia



Nos caminhos de Apolo
No Templo de Luxor
Cruz da Vitória-Astúrias



Bem-vindos à Grande Caminhada


Vamos caminhar pelo passado, pelo presente e pelo futuro





Quico

Bem-vindos aos Blogs do Quico, do Ventor e do Pilantras!


Continuamos a caminhar com o Ventor e com os nossos amigos. Vamos

caminhar com o Ventor pelo Passado, por Adrão, pela África e por

aí nos seus Blogs...


O Ventor e o Passado

Adrão e o Ventor

Ventor em África

Os Trilhos da Memória


O Quico caminhou com o Ventor e os seus amigos, fez os seus Sites e

chamou-lhes «A Grande Caminhada».



Vamos caminhar pelos posts das caminhadas dos Blogs do Quico e do Ventor, lincados em baixo. É a Grande Caminhada nos Blogs.


Podem ver aqui todos os nossos blogs


Os Blogs do Quico


A Arrelia do Quico

O Ventor em África

Os Amigos do Quico

O Fotoblog do Quico

O Ventor e o Passado

Caminhar com os Sonhos



Os Blogs do Ventor


Ventor em Adrão

Montanhas Lindas

Os Trilhos da Memória

As Flores da Vida

O Planeta Azul

A Rádio Ventor

Entre as Flores

Belezas do Ventor


Os meus Sites de fotos no Shutterfly


A grande Caminhada do Ventor

Adrão em, Caminhar na Natureza

OVentor e os amigos do Quico

Picos da Europa - C. na Natureza

Caminhar com os Sonhos


Caminhando nestes Blogs, caminharão nas Montanhas Lindas

do Ventor, entre flores, músicas, animais, ...

...belezas do Planeta Azul



Mas o Pilantras chegou mais tarde, também quis ter Blogs e tem!

Pilatras, o Ticas

Pilantras nos Trilhos do Ventor

Pilantras nos Trilhos do Quico

Fotoblog do Pilatras



Também vos deixo aqui:


Uma playlist de vídeos de Músicas que me contam histórias, no Portal Quico97


E o Índice dos Posts do Ventor no Passado


02
Set02

Glória a la Vida!

Quico, Ventor e Pilantras

"O Ventor anda mesmo maluco! Mesmo coxo, faz cada caminhada pela Net que até me arrepiam as suas histórias. Basta que ele se possa sentar e aproveita os bocadinhos todos. Arrepiam pois! Ainda para mais, fala-me dos velhos tempos do frio. Vejam como ele está apanhado"!

 

«Ao passar pelas catacumbas da Net e, à medida que vou driblando o tempo e penetrando nos célebres artigos pictoriais existentes, achei uns retalhos de arte, daquela que foi uma vida de luta, de tristezas e de alegrias, de tempos primordiais à Pré-História, à qual eu assisti, cheio de vontade de fazer o tempo progredir na mente daqueles sisudos homens, aos quais eu pertenci e com os quais partilhei a limpidez das estrelas, das águas puras, dos ares límpidos, da pureza das chuvas, das neves e dos gelos.

 

 

 

Os gelos aterrorizavam

 

 

Caminhar na neve era terrível. Por isso, era necessário ficar sempre por perto

 

 

 

Observar as pinturas que projectavam os animais nas paredes, era outro. Este bisonte, já foi apreciado pelo Ventor nas Grutas de Altamira

 

Perante o turbilhão de catástrofes que a Esfera fazia cair sobre o nosso Universo terreno e humano, com o fito de redimir os homens e que acho nunca conseguiu os intentos propostos, tal como eles, demandei cavernas obscuras onde, nos gelos quase perpétuos do quaternário e outras sequências intemporais a que os homens deram nomes científicamente comprovados ou não, permanecíamos vidas inteiras em que só poderíamos espreitar as estrelas para confirmar se o céu continuava a existir e, para mantermos a esperança de que todos os dias Apolo regressava para o cumprimento da praxe do seu sempre amigo Ventor.

 

 

Apanhar um pouco de sol para aquecer o corpo e a alma enquanto se dissertava sobre os famosos artistas, era um dos passa-tempos preferidos

 

As saídas desses buracos, alguns quase pareciam palácios actuais, pelo menos nas suas paredes internas e tectos, constituídas pelos rochedos das montanhas, enfeitadas por homens cheios de habilidade, apenas se dava por curtos intervalos de tempo, quando havia necessidade de reabastecer as despensas com os pedaços de carne que tínhamos que obter nas caçadas dos outros selvagens que, por uma questão de génio, ardil e de forças conjugadas, eram obrigados a ceder-nos as suas energias que iam armazenando no despontar da vida vegetal que angariavam por vales e encostas mais consentâneos às suas existências.

 

 

Observar as pinturas que projectavam os animais nas paredes, era outro. Este bisonte, já foi apreciado pelo Ventor nas Grutas de Altamira

 

Logo na saída das cavernas, todos os humanos prestavam, numa atitude de protração, a sua homenagem diária a Apolo, mensageiro da Esfera e, ao mesmo tempo, agradeciam ao Ventor, por ter tornado sua, a tarefa da sua protecção. Mas, quando os dias viravam autênticas noites, devido a intempéries originadas por lutas sem tréguas, no interior da Esfera e Apolo, por precaução, não se mostrava, todos julgavam que era, dessa vez, o nosso fim. E antes do términus, nada como colocar, em prol do colectivo, a capacidade de cada um.

 

Assim, ciclo após ciclo, século após século, milénio após milénio, todos os seres humanos, através dos seus mais habilidosos representantes tinham, por engenho e arte, um processo de deixar para a posteridade, uma demonstração do que teria sido a sua vida ao longo da luz e das trevas, nas venturas do tempo com os seus companheiros de caminhada.

 

 

Em Lascaux, fazia-se o mesmo

 

Eu incentivei a que assim procedessem, para que, um dia, na vastidão do espaço e do tempo, todos os vindouros se fossem apropriando dos progressos que seus antepassados foram conseguindo, ajudando-os a continuarem sempre, em diferentes e inovadoras tarefas, que levassem àvante um fluir constante daquilo a que, com os tempos, viemos a chamar civilização, cultura, arte, ... enfim, progresso.

 

Achei giro que, milénios depois de façanhas milenares, viesse a encontrar em bits de quase nada, tanta grandeza expurgada dessas cavernas quase eternas que vão resistindo a todos os eventos que a natureza, os homens e as imprecações da Esfera as põem à prova.

 

 

Aqui, em Lascaux, tal como em Altamira, um dos apaixonados de Diana exibe os êxitos das suas pinturas

 

Por isso, gostaria de vos deixar aqui muitas maravilhas da Arte Rupestre, porque foi executada no único papiro conhecido na época. A pedra!

Penso que ainda por lá poderei encontrar pinturas que foram minhas e que representarão as grandes caçadas que eu e Diana levamos a cabo em vales sem fim, através dos tempos e, no aconchego do calor e do amor que nos aqueciam, colocamos os nossos traços de representação de uma vida maravilhosa, própria dos deuses e, no ensino permanente de como fazer a espécie humana levar por diante a sua continuidade neste rodar permanente desta eterna Esfera a que pertencemos».

 

Caminhadas do Ventor, por Trilhos de Sonhos e de Ralidades, cujas histórias contou ao Quico e o Quico contou-as, para vós, brincando. Foi sob o Tecto do seu amigo Apolo que aprendeu a conhecer os seus amigos, ... como o porco

Ventor

Divulga também a tua página